quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

O Espírito do (meu) Natal


16 comentários:

Black Cat disse...

dispensaria ver-te o rabo, mas ja agora acrescento: esse espírito todo o ano e com companhia ;)

Mary disse...

lol!
o pai natal é um depravadoooooo!*

mik@ disse...

o pai natal revoltou-se com o polo norte e bazou pro brasil... aih aih tb quero!

medusasss disse...

Ora pois, Natal para todos e todos os dias! Follow the spirit!

Black CatDog disse...

Ver-me o rabo? Ó chefe, não é para me gabar mas eu devia ser gay só para não se desperdiçar assim um rabinho como o meu.

Black CatDog disse...

Mary: aí pára! O meu Pai Natal é um depravado, mas isso não se aplica ao das outras pessoas que é, tenho a certeza, um Pai Natal cheio de decoro. :-)

Black CatDog disse...

Até eu me pirava já, Mika. Quero lá saber dos ícones da neve e trálálá...
Brásiu!!!! Futchiból, fio dentáu!

Black CatDog disse...

Sempre na peúgada do spirit, Medusasss. (Ou ele na minha...) :-)

paula disse...

Isto só pode ser photoshop, que lhe fizeste à barriga???

Black CatDog disse...

Ele tem andado num ginásio, Paula, e em dieta rigorosa.
É que não param de nascer putos e ele para dar conta do recado teve mesmo que se pôr em forma...

Hydrargirum disse...

Credo, além de me avassalarem o Natal...ainda tenho de ler estas coisas...

Eu preciso do lítio!lol

Black CatDog disse...

Eu cedia-te do meu, Hydra, mas nesta Quadra consumo daquilo aos litros...
Feliz Natal, pá! (A malta não gosta, não gosta mas tamos lá todos caidínhos.)

medusasss disse...

Pois eu à falta de lítio, faço como a mik@ e encho-me de açúcar. E nesta quadra tenho do meu remédio por todo o lado.
Alguém é servido de uma rabanada? Delicioso... muito mais bem disposta, olarila!

Maga disse...

olha, gosto mesmo deste! isso sim! é espirito!

Black CatDog disse...

Toma cuidado não vá alguma cobrinha ficar diabética, Medusasss...

Black CatDog disse...

E no fundo, Maga, basta substituir espiritual por espirituoso e fica quase tudo muito mais dentro do espírito da Quadra (a de copas, bem entendido).
O meu trunfo no Natal é sorrir. E sempre que possível despir, também. (As prendas e tal...)