quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Dr. Strange Dog


A estranha poção entrou-lhe na mente com a força de dois infernos ou mais. Surpreendido, tentou em vão evitar-se mutante. Sentia-se diferente e ainda não sabia em quê.

Olhava-se ao espelho e não se reconhecia, as coisas que fazia na sua mente aturdida em nada correspondiam às de que se pensava capaz.

Tentou em vão reconstruir os farrapos que a memória decadente teimava em esconder por detrás de uma cortina de penumbra. "Estes não são os meus olhos... estas mãos... sujas... sujas de quê? Isto não sai, isto não sai...". E os olhos trocistas que lhe respondiam ao apelo do outro lado do espelho... sugerindo uma verdade sob a forma de um som, uma imagem repentina... uma chave que rodava ferrugenta numa porta remota e esconsa nos meandros labirínticos da memória.

Até que a verdade lhe surgiu inteira e nua como
o vermelho cor de sangue que lhe cobria a prova de um crime de que não se podia assumir autor.

O olhar que o confrontava como um gigantesco ponto de interrogação reflectido a partir do seu, enlouquecido pela dúvida e ansioso pela reconstituição dos passos perdidos na noite que, assim o julgava, o deitara a perder.

Na parede da sala o esboço de um cenário de horror, pintado com ira, rasgada a fina tela que o separava agora da insanidade mental. Somava dois mais dois, os seus olhos e os que o espelho lhe devolvia, insanos. E mirava a destilada iguaria como derradeira tábua de salvação...

E as horas perdidas na memória, retornaram avassaladoras, qual maré reprimida e agora liberta, enquanto, acto contínuo, escondia a tela na arrecadação, onde tantas outras aguardavam o derradeiro palimpsesto moribundo. Lavou sofregamente as mãos, até doerem tanto como a alma fustigada pela consciência pesada.

E enquanto esperava pelo raiar da manhã que revelaria o seu crime, tranquilo na perfeição do dito mas exangue ante a perspectiva de um pequeno e insignificante erro que deitaria tudo a perder, avançou desesperado em direcção à poção mágica
que lhe entrou na mente com a força de dois infernos, ou mais…

Coisado a dois por CatDog e Medusasss

15 comentários:

Artemisa disse...

Très bien!!!
Gostei. Coisar a dois dá bom resultado ;)

Hydrargirum disse...

Wow....adorei este post...!!!

Mas que redacção genial....que texto absorvente...

Só a parte do "Coisado" é que me fez franzir o sobrolho!lol...

Agora de resto...!Far off dude, far off!:)

Xuac e abraço:)

Black CatDog disse...

Merci. E eramos ambos virgens, pelo que foi um momento memorável... :-)

Black CatDog disse...

Asseguro-te Hydra que coisámos sempre dentro do maior respeito, há registos da forma pueril como tudo se passou e devolvo-a tão intacta como a encontrei.
Xuac para ti também. :-)))

medusasss disse...

A parte engraçada Artemisa, é que se pode coisar com quem queremos sem qualquer tipo de restrições!

Hydra-friend, já viste! Fui devolvida à procedência! snif snif

Registos? Registos? Tu guardas registos CatDog? Elahhh...

marta disse...

Está muito muito bom... ainda bem que há quem consiga coisar a quatro mãos!
****

medusasss disse...

Estou elucidada e mais descansada! Para ter sido devolvida é porque não foi satisfatório! :p

Black CatDog disse...

Obrigado pela parte que me toca (um par de mãozinhas) neste quarteto, Marta.

Black CatDog disse...

Ora essa, Medusasss. Estou até muito satisfeito (apesar de termos coisado sempre no maior respeito e tal) e até já deixei no ar a hipótese de uma reeedição, ou estás-te a fazer esquecida?

Hydrargirum disse...

O que eu me ri, com os vossos contra-comentários!!!....

Realmente Black Catdog, o teu humor seduz-me os músculos faciais!...arrancas-me gargalhadas!:)

Med-Friend, mas ao menos foste devolvida intacta e pura!

E já que me deste a liberdade, xuacs left and right!:)
:D

mik@ disse...

porra!!! (e este porra é porque já tinha escrito o comentário todo e isto apagou-se, carreguei numas teclas maradas...)

anyway...

está uma gata a beber quase meio litro de café pra acordar, cas remelas nos olhos e a pensar com ânimo (qual animo??) na casa que tem de arrumar e depois...

venho aqui e dou-me com este texto brutal, coisado e rastejado por vocês os dois... ta poderoso :) muito bem, inda são convidados a publicar um livro :)

p.s.: black catdog acho bem que tenhas respeitinho à medusasss (gosto mt dela... mas as cobritas, uih... assustadoras. melhor é nao a irritarmos muito)

Black CatDog disse...

:-)
Respeito-a enquanto mulher e enquanto pessoa, Mika.
Como a própria poderá confirmar.
E sou muito gay, pelo que nunca poderia haver problema. Only fun! ;-)
Livros é que não me parece. Há experiências que duram não mais do que uma página.
Ou um post...

mik@ disse...

hum gay... pronto ta bem. mas isso nao vale. andava eu aqui a pensar em fazer-te umas propostas (apos ter lido os teus post abaixo) e assim... sniff :( ja nao posso
beijo :)

Black CatDog disse...

Essas coisas não se adiam, rapariga. Devias ter feito as tais propostas assim que te apeteceu, antes de me saberes tão alegre e brincalhão (gay, como referi)...
:-)

mik@ disse...

lol é que essa tua personalidade gato-cão as vezes... nunca se sabe como anda esse humor (conheces o ditado "humor de cão")
quando me surgirem propostas eu vou faze-las :) aguarda